fbpx

Conheça as novas regras do cheque especial

Já está valendo as novas regras para o cheque especial estipuladas pelo Banco Central. Com a instituição das novas regras essa linha de crédito passa a ser recomendada somente nos casos de emergência para não entrar no vermelho, visto que os juros do cheque especial é um dos mais altos do mercado.

Essas medidas adotadas pelo Banco Central a pedido do governo federal têm por objetivo garantir que essa modalidade de crédito se torne mais eficiente e menos regressiva, ou seja, essas medidas foram tomadas para prejudicar menos os mais pobres.

Parcelamento Obrigatório

No pacotão de mudanças do regime do cheque especial temos uma grande novidade que é a obrigatoriedade do parcelamento do cheque especial. Agora, os clientes que utilizarem mais do que 15% do seu limite durante 30 dias seguidos deverão obrigatoriamente ter a opção do parcelamento por parte do banco.

Vale lembrar que o aceite por parte do cliente não é obrigatório e sim facultativo, visto que essa medida visa baratear o custo dos juros com os melhores prazos para pagamentos. A regra só se aplica para dívidas superiores a R$ 200,00 no cheque.

Cobrança de Taxa

A taxa de 0,25% será cobrada para todos os clientes que usarem acima de R$ 500,00 no cheque especial, contudo essa regra entra em vigor a partir do dia 01 de junho de 2020. Inicialmente essa cobrança foi duramente criticada pela OAB que através de nota chamou essa resolução inconstitucional, no entanto, as instituições bancárias afirmam que não irão cobrar essa taxa neste ano de 2020.

Contudo, o Bradesco afirmou através de nota que passará a cobrar essa taxa a partir do mês de junho, mas irá avaliar a forma de aplicação deste novo regramento.

Juros mais baratos no cheque especial

Dentre as novidades do cheque especial é válido ressaltar a cobrança de juros, modalidade já conhecida pelo mercado por cobrar taxas de até 13.5% ao mês de quem faz uso do limite.

Esse tipo de cobrança é limitado em 8% ao mês com juros do cheque especial. O Banco Central afirma que essas mudanças corrigirão as falhas deixadas no mercado por essa modalidade de crédito.

Vale ressaltar que apesar da queda, os juros continuam alto em comparativo com à outras modalidades. Contudo, é fundamental evitar o uso do cheque especial, deixando esse benefício para casos de urgência e emergência.

Essas regras estão em vigor desde o dia 06 de janeiro de 2020.

 

Leave a Reply